Spray para regeneração de queimaduras com complexo de aminoácidos e associações 15mL

Código: LJSZRCLSR
R$ 65,00
até 3x de R$ 21,66 sem juros
comprar Estoque: Disponível
    • 1x de R$ 65,00 sem juros
    • 2x de R$ 32,50 sem juros
    • 3x de R$ 21,66 sem juros
* Este prazo de entrega está considerando a disponibilidade do produto + prazo de entrega.

VENDA SOB PRESCRIÇÃO DE PROFISSIONAL HABILITADO, PODENDO ESTE SER O NOSSO FARMACÊUTICO DE ACORDO COM A RESOLUÇÃO 586/2013 DO CONSELHO DE FARMÁCIA.

DESCRIÇÃO:

“Para queimaduras em grandes superfícies”.

Os aminoácidos tem papel já descrito na reconstituição do tecido epitelial 19, 20, 21, 22,23, estimulando a produção de colágeno, fibroblasto e elastina e, com a combinação criada na sua estruturação estimula a cicatrização, ação anti-inflamatória, antifúngica, antibactericida aliada com um calmante, tornam esse creme um poderoso aliado na recuperação de queimaduras. Além do complexo de aminoácidos, a formulação contém:

  • histidina para os processos alérgicos periféricos e inflamatórios24,25;
  • aloe vera como adjuvante para restituir os líquidos perdidos, tanto naturalmente como por deficiências de equilíbrio ou danos externos, reparando os tecidos de dentro para fora nas queimaduras (sol e fogo), fissuras, cortes, ralados, esfolados e perdas de tecidos 6, 7, 8, 9, 10;
  • clorexidina que é altamente eficaz na ação antibacteriana, indicada como desinfetante e antisséptica, focando na sua ação contra germes gram-positivos, gram-negativos (incluindo pseudômonas), fungos, leveduras e alguns dermatófilos, e possui baixa toxicidade26.
  • barbatimão como coadjuvante na cicatrização de feridas, ação anti-inflamatória, antimicrobiano e antioxidante11, 12, 13, 14, 15, 16;
  • óleo de copaíba como coadjuvante na ação antisséptica em feridas, eczemas, na psoríase e urticária, cicatrizante e anti-inflamatório17, 18;
  • crajiru atuando como acelerador da cicatrização, anti-inflamatória, emoliente, antidiabética, desinfetante e antiangiogênico27, 28, 29, 30,31, 32, 33, 34;
  • Camomila A atividade terapêutica da camomila é determinada pelos princípios ativos lipofílicos e pelos hidrofílicos. A atividade predominante do extrato aquoso é espasmolítica, enquanto o extrato alcoólico apresenta uma atividade antiflogística. O camazuleno possui reconhecida atividade anti-inflamatória, que é reforçada pela presença de matricina e α-bisabolol. O α-bisabolol possui propriedades antiflogísticas, antibacterianas, antimicóticas e protetores de mucosa agindo assim contra úlceras. Sua atividade espasmolítica musculotrópica é equivalente a da papaverina. Outros princípios ativos também apresentam propriedades espasmolíticas como os flavonoides e as cumarinas, sendo que a estas últimas atribui-se o efeito inibitório do crescimento de certos microrganismos. A colina apresenta propriedade antiflogística 35, 36, 37, 38, 39, 40, 41;

COMPOSIÇÃO:

Complexo de aminoácidos

Barbatimão

Óleo copaíba

Aloe Vera

Crajiru

Camomila

Histidina

Clorexidina

Excipiente Soro Fisiológico

VALIDADE: 12 meses

POSOLOGIA:
Modo de usar e posologia
- Mantenha a superfície que receberá a aspersão limpa
- Direcione o jato do spray na direção da queimadura a uma distância de, aproximadamente 20cm.
- Pressione com firmeza para obter um jato de aspersão semelhante a um cone.
- Repita até aspergir toda a área lesionada.
- Aguarde alguns segundo até o líquido assentar na superfície.
- Não cubra
- Desejável manter exposto.

a)     Aspergir, na fase aguda, de 3 em 3 horas

b)     Se for uma queimadura mais branda, aspergir de 5 em 5 horas espaçando no decorrer da melhora até não ser mais necessário.

VALIDADE: 12 meses

REAÇÕES: Não há reações relatadas.

EFEITOS COLATERAIS: Não há relatado.

SUPERDOSE: Não se aplica.

ADVERTÊNCIAS:

1.      Nunca compre medicamento sem orientação de um profissional habilitado.

2.      Imagens meramente ilustrativas.

3.      Pessoas com hipersensibilidade a quaisquer das substâncias não devem utilizar o produto.

4.      Em caso de hipersensibilidade aos componentes, recomenda-se descontinuar o uso e consultar o médico.

5.      Não use o produto com o prazo de validade vencido.

6.      Conservar o produto entre 10 e 30ºC, protegido da luz, umidade e fontes de calor. Nestas condições, o produto se manterá próprio para o consumo, respeitando o prazo de validade indicado na embalagem.

7.      Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças. 

8.      Siga corretamente o modo de usar. Não desaparecendo os sintomas, procure orientação médica.

9.      "SE PERSISTIREM OS SINTOMAS, O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO".

10. "Os resultados e indicações referentes aos componentes usados nesse produto foram avaliados e comprovados pelos respectivos fabricantes dos insumos farmacêuticos e outros estudos conforme descrito nas Referências. Não garantimos os resultados descritos, estes variam de pessoa para pessoa dependendo de diversos fatores como alimentação, prática de exercícios físicos, presença de outras patologias, bem como, o uso correto do produto conforme descrito na posologia.”

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

  1. Sanchez Neto R, Barone B, Tevês DC, Simões MJ, Novo NF, Juliano Y. Aspectos morfológicos e morfométricos da reparação tecidual de feridas cutâneas de ratos com e sem tratamento com solução de papaína a 2%. Acta Cir Bras 1993;8(1):18-23.
  2. Seifter E, Rettura G, Barbul A, Levenson SM. Arginine: an essential amino acid for injured rats. Surgery.  978;84(2):224-30.
  3. Witte MB, Barbul A. General principles of wound healing. Surg Clin North Am. 1997;77(3):509-28.
  4. Moncada S, Palmer RM, Higgs EA. Nitric oxide: physiology, pathophysiology, and pharmacology. Pharmacol Rev. 1991;43(2):109-42.
  5. Palmer DM, Kitchin JS. A Double-blind, randomized, controlled clinical trial evaluating the efficacy and tolerance of a novel phenolic antioxidant skin care system containing Coffea arabica and concentrated fruit and vegetable extracts. J Drugs Dermatol 2010; 9: 1480-1487.
  6. OLIVEIRA. J. A.B.; MASAYUKI, I.; YUKIKO, E. Formulário Médico Farmacêutico, 3ª edição, 2006. Pág. 509.
  7. DAVID, W. Superalimentos - A alimentação e os remédios do futuro. 1ª edição, 2010. Pág. 175-184.
  8. BARETTA, Z. et al. Aloe-induced hypokalemia in a patient with breast cancer during chemotherapy. Annals of Oncology, v.20, n.8, p.1445-46, 2009.
  9. FREITAS, V. S.; RODRIGUES, R. A. F.; GASPI, F. O. G. Pharmacological activities of Aloe vera (L.) Burm. f. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, v. 16, n. 2, p. 299-307, 2014.
  10. CAMPESTRINI, L. H.; DIAS, P. F. Efeitos vasculogênicos e angiogênicos do extrato do parênquima de reserva, da fração polissacarídica (fp) e da acemanana. 2007.
  11. AÑIGUERAL, S.; DELLACASSA, E.; BANDONI, A.L. Plantas medicinales y Fitoterapia: indicadores de dependencia o factores de desarrollo? Acta Farm. Bonaer., v.22, p.265-278, 2003.
  12. DE MELLO, J.P.; PETEREIT, F.; NAHRSEDT, A. Flavan-3-ols and prodelphinidins from Stryphnodrendron adstrigens. Phytochemistry, v.441, p.807-813, 1996.
  13. DESMICHELLE, G. O medicamento homeopático: fabricação, controle, legislação. In: MERCIER, L. (ORG.). Homeopatia princípios básicos. São Paulo: Organização Andrei, 1987. p.143-149.
  14. DI STASI, L.C. Plantas medicinais: arte e ciência: um guia de estudo interdisciplinar. São Paulo: UNESP, 1996. 230p.
  15. EUROPEAN Pharmacopoeia. Directorate for the quality of medicines of the Council of Europe (EDQM). 5.ed. Strasbourg: Council of Europe, 2005. 3000p.
  16. TESKE, M.; TRENTINI, A M.M,. Herbarium – Compêndio de Fitoterapia. 3ºedição revisada, Curitiba.
  17. Alonso J.: Tratado de Fitofármacos y Nutraceuticos. Pag 360 – 362; Ed. Corpus, 2007.
  18. Índice Terapêutico Fitoterápico: ITF - 1.ed. - Petrópolis. RJ: EPUB, 2008.
  19. ATALA, A. Tissue engineering and regenerative medicine: concepts for clinical application. Rejuvenation Research, New York, v. 7, n. 1, p. 15-31, jan. 2004. doi: 10.1089/154916804323105053.
  20. Titani, K. Protein design based on the structure and function relationship and its clinical application, Rinsho Ketsueki. 1994 Apr;35(4):323-31.

21.   Maeda T, Hashino K, Oyama R, Titani K, Sekiguchi K. Artificial cell adhesive proteins engineered by grafting the Arg-Gly-Asp cell recognition signal: factors modulating the cell adhesive activity of the grafted signal, J Biochem. 1991 Sep;110(3):381-7.

22.   YAMADA, K. M. Adhesive recognition sequences. The Journal of Biological Chemistry, San Francisco, v. 266, n. 20, p. 12809-12812, jul. 1991.

23.   Costa, Marcella Motta da, Queiroz, Paulo Roberto Martins Bioengenharia de tecido epitelial e Cartilaginoso, Universitas: Ciências da Saúde, Brasília, v. 11, n. 2, p. 107-119, jul./dez. 2013.

  1. BATISTUZZO, J.A; ITAYA, M; ETO, Y. Formulário Médico -Farmacêutico. São Paulo: Tecnopress, 2000.

25.   CHAITOW, L. The Healing Power of Amino Acids. England: Thorsons Publishers Limited, 1989.

26.   Amoras, Luciana da Silva, Uso da Clorexidina na Medicina – Revisão de Literatura – Monografia, UNICAMP. 2013.

27.   EMBRAPA Rondônia (Infoteca 2005): Folder Crajiru - Acesso em 27 de setembro de 2015.

28.   Jornada de Iniciação Científica da Embrapa Amazônia Ocidental (2008): Produção de biomassa de folhas e caules de três tipos de Crajiru - Acesso em 27 de setembro de 2015.

  1. Jornal da UNICAMP (2013): CPQBA testa fitoterápico para cicatrização de lesões - Acesso em 27 de setembro de 2015.

30.   Revista Brasileira de Plantas Medicinais (2006): Growth of crajiru (Arrabidaea chica Verlot.) on different growing media - Acesso em 27 de setembro de 2015.

  1. Revista Brasileira de Farmacognosia (2008): Arrabidaea chica (HBK) Verlot: phytochemical approach, antifungal and trypanocidal activities - Acesso em 27 de setembro de 2015.
  2. Hoehnea (Instituto de Botânica 2011): Plantas trepadeiras do Parque Estadual das Fontes do Ipiranga - Acesso em 27 de setembro de 2015.
  3. Imagem: EMBRAPA Rondônia (Autora: Maria das Graças R. Ferreira) - Acesso em 27 de setembro de 2015.
  4. The Plant List: Fridericia chica - Acesso em 27 de setembro de 2015.

35.   Alonso, J.R.; Tratado de Fitomedicina–Bases Clínicas e Farmacológicas. ISIS Ediciones SRL, 1998.

36.   Balmé, F.; Plantas Medicinais. Ed. Helmus, 1994.

37.   Coimbra, R.; Manual de Fitoterapia. Ed. CEJUP, 1994.

38.   Moreira, F.; As Plantas que Curam. Ed. Helmus, 1985.

39.   TESKE, M.; TRENTINI, M.M.A; Herbarium compêndio de fitoterapia; 3.ed; Curitiba; 1997.

40.   FETROW, C.W.; AVILA, J.R.; Manual de Medicina Alternativa para o profissional. Guanabara Koogan, 2000.

SCHULZ, HÄNSEL, TYLER. Fitoterapia Racional – Um guia de fitoterapia para as ciências da saúde; 4ºedição, Editora Manole, 2002.

R$ 65,00
até 3x de R$ 21,66 sem juros
comprar Estoque: Disponível
Pague com
  • PagSeguro
Selos
  • Site Seguro

Salus Farma - CNPJ: 07.138.538/0001-06 © Todos os direitos reservados. 2018

  • PagSeguro
  • Compra Segura / Site Certificado

AUTORIZAÇÃO ESPECIAL (AE) / Ministério da Saúde (MS): 1.37516.9
AUTORIZAÇÃO DE FUNCIONAMENTO DE EMPRESA (AFE) ANVISA/MS: 0.43504.1
LICENÇA SANITÁRIA MUNICIPAL Nº 12/2018
CERTIDÃO DE REGULARIDADE: 23540
RESPONSÁVEL TÉCNICA: VANESSA DE SOUZA ALMEIDA BITTENCOURT
CRF-MG 32680

SALUS FARMA - FARMÁCIA LTDA - CNPJ: 07.138.538/0001-06 - RUA SANTO ANTÔNIO, 319 - LJ 2, CENTRO - CEP:36420-000 - OURO BRANCO - MG